//13 de dezembro

13 de dezembro

BNDES financiará eficiência energética em Campinas

O BNDES aprovou apoio a projeto-piloto de internet das coisas aplicada ao ambiente urbano, aplicando soluções à segurança e iluminação pública em Campinas. Entre as medidas, está a instalação de sistema composto por 350 módulos de telegestão, que colaborará com a eficiência energética da cidade.

Cada luminária contará com luzes de LED e ajuste de intensidade, possibilitando economia de energia, além de módulos que permitirão o controle remoto e, em conjunto, constituirão uma rede de comunicação de baixo custo e alta confiabilidade. A solução possibilitará a medição do gasto de energia em cada ponto. Assim, a cobrança deixará de ser feita com base em estimativa e refletirá o efetivo consumo.

A tecnologia também permitirá o controle mais efetivo da qualidade do serviço prestado, já que será possível monitorar facilmente interrupções de serviço e o nível de uso energético, um indicador da qualidade das lâmpadas usadas. A rede constituída pelo conjunto de módulos também servirá de plataforma de comunicação para o teste do serviço de transporte com carros elétricos compartilhados.

Outras atividades do projeto dizem respeito ao monitoramento por câmeras, identificação de placas de veículos e até medições atmosféricas conectadas à Defesa Civil.

Selecionado em chamada lançada em 2018, o projeto será conduzido pela Fundação CPqD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações) e realizado em parceria com a prefeitura de Campinas, com investimento total de R$ 9,89 milhões, sendo R$ 2,98 milhões aportados pelo BNDES em recursos não-reembolsáveis.

A expectativa é que as tecnologias testadas gerem impactos positivos, como aumento da segurança, redução de gastos com energia e ampliação na oferta de serviços prestados, para que possam ser adotadas por outras cidades com características semelhantes.

“É necessário mudar a maneira de pensar edificação no Brasil”, afirma arquiteta do Procel

No último dia 02, a Eletrobras, por meio do Programa Nacional de Conservação de Energia (Procel), abriu a primeira Chamada Pública para projetos de edificações NZEB (Near Zero Energy Buildings). O conceito refere-se a construções sustentáveis, que alinham eficiência energética à geração de energia renovável, para reduzir quase a zero seu balanço energético anual. Na Europa, muitos países firmaram um acordo para promover a sustentabilidade energética em edifícios utilizando esse modelo. No Brasil, no entanto, apesar do grande potencial para a geração distribuída de energia solar, o conceito ainda não está difundido. Dessa forma, a Chamada Pública Procel Edifica – NZEB Brasil visa disseminar essa cultura, bem como sua implementação no país, a fim de auxiliar na redução da demanda por energia nas edificações, consideradas um dos principais consumidores do setor elétrico.

Para o desenvolvimento desse tipo de projeto no Brasil, a Chamada Pública Procel Edifica vai disponibilizar R$ 4 milhões, a serem divididos por até quatro projetos. O recurso, proveniente do Plano de Aplicação de Recursos de 2018 (PAR Procel), poderá ser utilizado tanto para a construção quanto para o retrofit de edifícios.

Resultado da seleção será divulgado em maio de 2020

As instituições interessadas em apresentar projetos de NZEBs na Chamada Pública Procel Edifica – NZEB Brasil devem fazer a inscrição até o dia 07 de fevereiro de 2020, sendo o prazo limite para a apresentação das propostas o dia 20 do mesmo mês.

O resultado do concurso será divulgado no dia 19 de maio. Os projetos selecionados estarão disponíveis no site da Chamada Pública, onde também constam o edital e o link para inscrições.