//10 de outubro

10 de outubro

Câmara aprova projeto da Prefeitura que recria ‘IPTU Verde’ em Ribeirão Preto, SP

A nova versão do chamado “IPTU Verde”, que incentiva a adoção de práticas como instalação de painéis de energia solar, captação pluvial e reuso de água, derruba outra em vigor desde 2017, de iniciativa legislativa, sobre o mesmo tema.

O projeto do Executivo estimula as mesmas práticas, mas difere em questões como a alíquota de desconto, de 2% por item cumprido, e limitado ao acumulado de 10% do IPTU do imóvel – antes era de 12%. Além disso, é mais incisivo na necessidade de comprovação técnica por parte de quem pleiteia o benefício.

Críticos do projeto, opositores alegam que a nova lei torna mais difícil o acesso aos descontos por parte dos moradores, além de prejudicar aqueles que já solicitaram o benefício este ano. Apoiadores, por outro lado, dizem que o novo texto corrige erros da redação anterior.

Estudantes da EJA do Sesi desenvolvem painel solar com materiais reciclados.

Alunos de Gravataí vão apresentar a solução no 2º Sesi com@Ciência, que será realizado de 30 de setembro a 1º de outubro, na FIERGS, com entrada franca. Os painéis de energia solar são uma solução mais sustentável e econômica para a produção de energia e aquecimento da água. Mas e se eles forem produzidos com reaproveitamento de materiais que seriam descartados? Para a viabilização da ideia, foi utilizada madeira de descarte para cerco da serpentina de cobre; vidro grosso, também reciclado, para fazer a cobertura da serpentina; dois galões de plástico, para os reservatórios de água fria e água quente; canos de PVC; manta térmica para isolamento e tinta acrílica preta fosca. A ideia central do grupo foi usar a propriedade de absorção do calor pela cor preta e o isolamento térmico proporcionado pelo vidro. Essa concentração de calor no recipiente de madeira acaba sendo transferida para a água circundante. Assim, garante-se as duas principais vantagens envolvidas nesse tipo de energia: a economia e a preservação ambiental.