//10 de Novembro

10 de Novembro

Setor de construção capta R$ 4,4 bilhões na bolsa e prepara expansão.

Com a captação de recursos, empresas devem pagar dívidas antigas e se preparar para um novo ciclo de crescimento. Empresas que atuam no mercado imobiliário já colocaram R$ 4,4 bilhões no caixa este ano por meio de capitalização via oferta de ações na bolsa de valores, montante que vai continuar crescendo. A captação de recursos servirá para pagar dívidas do passado e, principalmente, preparar as máquinas para a perspectiva de um novo ciclo de crescimento que passa tanto por empreendimentos residenciais quanto comerciais. Desde janeiro foram realizadas oito ofertas, todas subsequentes (follow on) – TecnisaTrisulEztecHelborGafisaLPC (ex-Lopes)Cyrela Commercial Properties (CCP) e Log Commercial Properties – que resultaram nos R$ 4,4 bilhões. A fila até o fim do ano também tem BR Properties, que estima levantar em torno de R$ 1 bilhão, e JHSF, cujos valores ainda não foram revelados. Além disso, a Kallas já tem bancos com mandatados para uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), mas esse passo deve ficar para o início do ano que vem.

3 tecnologias para deixar sua casa mais econômica e sustentável

Arcar com as despesas de uma casa não é tarefa fácil e a cada ano fica mais difícil com os novos aumentos nas contas básicas, como luz e água. Hoje, no entanto, já existem tecnologias que permitem a você não só reduzir drasticamente essas faturas, como também tornar o seu consumo e o de sua família muito mais sustentável. Conheça abaixo as 3 tecnologias para reduzir as contas de sua casa:

#1 Sistemas Fotovoltaicos: Os sistemas de energia solar fotovoltaica são relativamente novos no Brasil, começaram em 2012, mas hoje já estão nas casas e empresas de mais de 118 mil brasileiros em todo o país. O motivo para isso? Economia de até 95% na conta de luz e imunidade contra a inflação energética! Utilizando apenas a luz do sol, um sistema fotovoltaico pode gerar toda a energia que você consome em sua casa, te proteger das bandeiras tarifárias e, o melhor, dura mais de 25 anos. A popularização da tecnologia também trouxe forte queda dos custos dos sistemas no Brasil, que hoje estão mais acessíveis e contam ainda com linhas de financiamento próprias.

#2 Aquecedor Solar: Outra tecnologia que utiliza a luz do sol, mas que já está a muito mais tempo difundida no Brasil, é a dos aquecedores solares térmicos. A função aqui é o aquecimento da água para substituir o uso do chuveiro elétrico, grande vilão da conta de luz. Embora não chegue a 95%, a redução da conta de luz pode ser atrativa com o uso desta tecnologia, especialmente em famílias onde o consumo da água do chuveiro é alto. Os custos da tecnologia também são menores e ela ainda pode ser usada em conjunto com os sistemas fotovoltaicos para aumentar sua rentabilidade.

#3 Cisterna: Por último, uma cisterna pode não só reduzir os custos de sua casa, como também ajudar para o consumo sustentável de um de nossos recursos mais escassos: a água. A tecnologia é antiga, mas novos modelos estão popularizando o uso residencial de cisternas por não necessitarem obras para a sua instalação. Compactos e feitos de fibra ou plástico, eles permitem captar a água da chuva diretamente do telhado, com proteção contra o acúmulo de sujeira ou contaminação pelo mosquito da dengue.A água captada pode ser utilizada em uma variedade de tarefas, como lavagem de calçadas ou quintais, lavagem de carro, regar plantas ou mesmo para a descarga de privadas.