//26 de fevereiro 2019

26 de fevereiro 2019

Aneel propõe reajuste no valor das bandeiras tarifárias

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs nesta terça-feira (26) um reajuste nos valores da bandeira tarifária amarela e da bandeira vermelha, nos patamares 1 e 2.

A proposta será submetida a consulta pública entre 27 de fevereiro a 1º de abril. Os valores sugeridos pela área técnica da agência ainda podem ser alterados.

Novos valores propostos (por 100 kWh):

Bandeira amarela: R$ 1,50
Bandeira vermelha 1: R$ 3,50
Bandeira vermelha 2: R$ 6,00

_________________________________________________________________________________________________

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta segunda-feira (25) que o governo pode rever o decreto do ex-presidente Michel Temer que reduziu os subsídios pagos na conta de luz. Segundo o ministro, o governo tem avaliado a demanda de alguns parlamentares, que reclamaram do corte de subsídios para produtores rurais e para quem faz irrigação.

O decreto, publicado no fim do ano passado pelo ex-presidente, reduzia de forma gradual os subsídios nas contas de luz para a área rural e para companhias de água, esgoto e saneamento. O decreto prevê a retirada de 20% dos subsídios a cada ano – até a extinção total do desconto.

 _________________________________________________________________________________________________

Optar pela tarifa branca ajuda a economizar na conta de luz

Em vigor desde o dia 1º de janeiro de 2018, a tarifa branca pode representar uma economia na conta de luz para os consumidores disciplinados e atentos aos horários e dias em que a energia custa mais barato.A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) alerta que a conta poderá ficar mais cara para aqueles que aderirem à nova tarifa, porém, continuarem a usar chuveiro elétrico, ar-condicionado, ferro de passar e máquina de lavar roupa nos horários de pico – quando há mais consumo de energia e custo maior.

A tarifa branca é uma modalidade em que os valores cobrados varia em função da hora e do dia da semana em que a energia foi consumida. Nos horários de pico, a energia é mais cara. Nos horários de baixo consumo, é mais barata.

Para aderir à tarifa branca, é necessário comunicar à concessionária, que terá prazo de 30 dias para mudar o medidor de energia.